Pesquisar por palavra-chave:

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Conhecendo melhor os processadores (parte 3)

Veja  o primeiro artigo sobre processadores clicando Aqui
Veja o segundo artigo sobre processadores clicando Aqui

  • FPU (Float Point Unit)
Unidade de ponto flutuante, existe dentro dos processadores à partir dos  processadores 486, antes de existir, (nos processadores 386 ou anteriores) os processadores não eram capazes de fazer cálculos aritméticos, caso fosse necessário, poderia instalar um processador "overdrive" para este tipo de cálculo.


  • 3D Now
Tecnologia apresentada pela AMD para melhor tratar instruções de multimídia, lançada nos processadores K6-2, programas escritos com esta tecnologia, termão melhor desempenho em processadores com esta tecnologia.
  • MMX
Multimedia extended, tecnologia apresentada pela intel nos processadores da linha Pentium 166 e 200 Mhz, usada para um melhor tratamento de instruções de multimídia como sons e gráficos, esta tecnologia é usada até hoje nos processadores.
  • Intruções SSE
Todo processador tem um conjunto de instruções, estas instruções são usadas nas funções do processador, alguns programas usam um conjunto de instruções e outros programas ,utilizam outros tipos de instrução, basicamente as instruções de um processador são separadas em 7 grupos;

 Instruções Aritméticas
 Instruções de Comparação
 Instruções de Conversão
 Instruções Lógicas
 Instruções de Deslocamento
 Instruções de Transferência de Dados
 Instrução de Inicialização
  • Cache L1, L2 e L3
Caches são memórias auxiliares do processador, a memória cache L1 tem como principal função armazenar instruções que são dadas ao processador, a memmória cache L2 tem como principal objetivo, melhorar o desempenho do sistema, uma vez que são baseadas na arquitetura SRAM (Static Ram) elas podem armazenar informações durante um bom tempo com uma boa velocidade de leitura e gravação. Um bom exemplo de seu funcionamento que podemos fazer em casa, é quando abrimos um programa, a primeira vez o programa leva um tempo pra abrir, se você fechar o programa e abrir novamente, a segunda vez vai abrir bem mais rápido, pois ja tem as informações necessárias (ou parte delas) já carregadas no processador.
A cache L3 é como um complemento da cache L2, com a mesma função, antigamente esta cache L3 ficava na placa-mãe, atualmente estão no mesmo encapsulamento do processador.

  • Flags
A tradução literal de "flag" é bandeira. Não é à toa que as "flags" do processador receberam este nome: funcionam como sinalizadores.  As flags são apenas um bit de memória e se localizam dentro do processador. Como cada flag é apenas um bit, num dado momento elas só podem ser 1 ou 0 ("setada" ou "zerada"), são usadas principalmente para indicar relustrados de alguma operação

  • Ponteiro de Pilha
O ponteiro de pilha são memórias internas do processador, 
As principais funções do ponteiro de pilha são:
Preservar valores de registradores em funções e preservar dados da memória 
Transferir dados sem usar registradores 
Reverter a ordem de dados  
Chamar outras funções e depois retornar 
Passar parâmetros para funções 

  • Pipeline
A idéia principal do pipeline é de que o processador aceite novas instruções mesmo antes que as instruções anteriores tenham terminado, a cada um dos seus estágios outros processos podem ser aceitos, funciona assim:
O processador aceita uma instrução (intrução 1) e ela é alocada, quando uma instrução passa para o outro estágio, o primeiro estagio já está livre, e já pode aceitar uma nova instrução (instrução 2), quando a instrução 1 passar para o terceiro estágio, a  instrução 2 pode passar  para o próximo estágio. liberando para uma nova instrução.
Como exemplo, veja a figura abaixo, as siglas simbolizam os estágios de um processador:

BI = Busca de instrução
DI = decodificação da instrução
CO = Calculo de operando
BO = busca de operando
EI = execução da instrução
EI = escrita de operando



Note que mesmo antes de]a primeira instrução acabar, outras 5 instruções puderam ser iniciadas e assim por diante.

Espero ter tirado as dúvidas sobre estes itens de processadores.



segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

GodMode ou "modo Deus" do Windows 7 e 8

Trate-se de uma funcionalidade do Windows 7 e 8, onde encontramos um console com vários ítens de configuração do Windows.
São mais de 170 itens gerenciáveis do Windows em um único lugar.

Para acessá-lo, crie uma pasta em qualquer lugar no Windows, (eu criei na área de trabalho), em seguida renomeie esta pasta para:

GodMode.{ED7BA470-8E54-465E-825C-99712043E01C}

Aparecerá no lugar da pasta, o acesso para o "god mode"

No canto superior direito, tem um campo de pesquisa "god mode" onde vc pode filtrar os ítens por palavra chave:

Clique para ampliar



Na verdade, GodMode foi um apelido dado a este recurso, pois dá acesso a todos os recursos do painel de controle em um só lugar, mas ao invés deste nome, você pode usar qualquer nome, basta substituir a palavra "GodMode" do início do nome da pasta para qualquer outro nome.

ex:

Gerenciamento.{ED7BA470-8E54-465E-825C-99712043E01C}

Bom, espero quie gostem desta dica!

Veja também o artigo sobre atalhos do Windows clicando aqui.

Deixem um comentário!

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Dominando o MS-DOS (parte 1 - básico)

Embora alguns achem que o MS_DOS é um sistema antigo, eu sei da sua utilidade no meu dia-a-dia como analista de suporte, logo, decidí escrever um artigo a respeito.
Tutorial dividido em 4 partes, a cada sexta-feira deste mês, uma nova parte deste artigo. Bons estudos


  • Introdução
O MS-DOS é um sistema operacional mono-usuário e mono tarefa, ou seja, um usuário por vez e uma tarefa por vez, porem atualmente no Windows, podemos abrir várias janelas do DOS e em cada um executar coisas diferentes.
Uma das utilidades mais importantes é criar scripts em DOS (ou arquivos em lotes) que facilitam a administração.
A sigla significa MicroSoft Disk Operational System
Para acessá-lo, abra o prompt de comandos do Windows:




  • Comandos de navegação
CD (change directory) é um comando para mudar de diretórios ex:

c:\> cd Windows (pressione enter)
c:\Windows>

Isto indica que o diretório (ou pasta) foi acessado, mas o comando também serve para sair de diretórios, neste caso, ao invés do nome da pasta, usamos "cd .." ex:

c:\windows> cd .. (pressione enter)
c:\>

E também, voltar direto para a raiz, usamos "cd /"

MD (make directory) usado para criar diretórios, para isto basta usar o comando conforme exemplo:

c:\> md músicas (pressione enter)
 O diretório "musicas" será criado

RD (remove directory) usado para remover diretórios, basta digitar o comando seguido do nome do diretório que deseja remover, mas se o diretório estiver com arquivos ou sub-diretórios dentro, vc deve usar o comando" RD /s" exemplo

rd musicas (apaga pasta músicas desde que vazia)
rd /s musicas (apaga pasta músicas e todo seu conteúdo)
rd /s /q musicas (apaga a pasta música com todo o seu conteúdo sem pedir confirmação)

DIR (directory) Permite visualizar conteúdo de um diretório, tem muitas opções para organizar o resultado:

dir     = exibe conteúdo de um diretório
dir /p     = exibe o conteúdo pausadamente caso seja muitos
dir /s     = exibe o conteúdo do diretório e de todos os diretórios sub-sequentes
dir /o:n     = exibe em ordem alfabética
dir /o:-n     = exibe em ordem alfabética invertida
dir /o:d     = exibe em ordem de data da criação ou última alteração
dir/ o:-d     = exibe em ordem alfabética invertida
dir /a:h     = exibe arquivos ocultos (hide)
dir /a:d     = exibe somente diretórios dentro do diretório atual
dir /a:-d     = exibe somente arquivos dentro do diretório atual

Os comandos podem ser combinados como no exemplo abaixo

dir/o:n /h /p (seria exibir em ordem alfabética, inclui ocultos e pausadamente)
  •  Manipulação de arquivos
COPY = cria uma cópia de um arquivo e envia para um diretório de destino (como copiar e colar)
copy <origem> <destino>

ex:
    copy        musica.mp3     e:\musicas
(comando)      (origem)           (destino)

da mesma forma podemos especificar todos os arquivos de uma diretório:

     copy             *.*          e:\musicas
(comando)      (origem)        (destino)
Obs: * no MS-DOS significa "tudo" ou "todos"

MOVE = parecido com o copy, mas não cria cópia, ele remove da origem e insere no destino (como recortar e colar)


move        musica.mp3     e:\musicas
(comando)      (origem)           (destino)

da mesma forma podemos especificar todos os arquivos de uma diretório:

  move            *.*          e:\musicas
(comando)      (origem)        (destino)
Obs: * no MS-DOS significa "tudo" ou "todos

DEL (delete) = deleta arquivos especificados, del <nome do arquivo>
ex:
del musica.mp3 (apaga o arquivo música)
del *.mp3 (apaga todos os mp3)
del *.* (apaga todos os arquivos de um diretório)
del /s *.* (apaga todos os arquivos de todos os diretórios sub-sequentes, mantendo os diretórios)
del /s /q *.* (apaga como o comando acima, mas não pede confirmação)
del /s /q /f *.* (igual ao comando acima, mas o "f" força exclusão de arquivos somente-leitura)

Obs: No lugar do comando "del" podemos usar também o comando "erase"


Quem gostou deixe um comentário!


Siga meu blog por email!! Digite seu email abaixo.

google-site-verification: google53a8eb0bc7dc474a.html